6/06/2010


PORQUÊ ?

Porquê o meu sofrer ?
Porquê a mim ?
Que mal fiz ?
Porque sofro assim ?
O desespero que me apanhou
Leva a perguntas soltas
De que não espero resposta
Pensas apenas
Que o infortúnio me bateu á porta
Que fui eu o escolhido
Na rifa que a vida tem
Que raio de minha sorte
Porque não foi para outro alguém ?
Esta dor que me apoquenta
Este mal que não passa
Já não sei mais o que faça
Para manter a esperança
De que um dia isto acabe
E não passe de uma lembrança
Que volte novamente
Ao outrora onde tudo era melhor
Sem a companhia desta dor
Mas porquê ? não faço mais
E em vez de gritar meus ais
E queixumes sempre iguais
Escolher apenas amor
E lutar no interior
Contra este mal aflito
E mostrar bem o meu querer
Com a força de meu grito
Deixar o marasmo que me amarra
E dizer com toda a garra
Vou lutar para vencer

António da Costa

Sem comentários: